Yin Yang

Yin Yang

É preciso falar sobre o nosso despertar a cada amanhecer

Sobre a confluência de nossos corpos

Tal como Yin e Yang

A cada toque, é como se quiséssemos nos perpetuar um no outro

Como tatuagens sagradas

Com eternas marcas de amor

Esse desejo de ficar para sempre

Mesmo tendo que ir

Traz-me a certeza da urgência

De que é preciso voltar

E no momento tão esperado

Me lançar em teus braços

Como um rio que se une ao mar.

17/08/2021

A liberdade das letras

A liberdade das letras

Eu gostava de poder gritar o meu amor

Mas não me permites

De sorte que tenho a poesia

É através dela que liberto os meus sentimentos

Tu és o silêncio que me reprime

Escrever tira-me a mordaça

Tornas-te impotente diante do poder libertador das letras

Amo-te, e grito aqui

Onde tantos me ouvem

Uns choram

Outros encantam-se

Mas consigo tocá-los através do que sinto

O campo das letras é libertário

Aqui eu posso dizer que te amo

Consigo desenhar o teu corpo sob meu domínio

Em todas as noites em que és tão meu

Aqui eu posso gritar o tanto que eu sou tua.

28 de Elul, 5781

Um lamento de despedida

Um lamento de despedida

Como se fosse uma terapia
É preciso falar dessa dor que anestesia
Das palavras e atos que dilaceram a alma
Que destroem os sentimentos
Já não chegam lágrimas aos olhos
As lâminas de tuas palavras já não me fazem sangrar
Apenas sinto um frio que invade o meu ser
Como se eu me ausentasse de mim mesma
E observasse tudo como em uma tela
Uma pintura semelhante ao inferno de Dante
Ou A mulher sentada sobre os cotovelos de Picasso
Do sonho ao pesadelo
Do amor ao desencanto
Mas já não existe pranto
Ficaram essas palavras que expresso como se fosse um canto
Um lamento e uma despedida.
14/10/2021
08 de Chesvan, 5782

Feridas que sangram

Feridas que sangram

Existe uma ferida aberta no seio de minha alma
Que não para nunca de sangrar
Não me causa ira, sequer raiva pelo agressor
Só consigo sentir a dor
Que dilacera todo meu ser
Sinto esvair-se de mim toda a esperança que pode advir do amor
Já não enxergo a humanidade
Vejo-me cercada de zumbis
Seres sem sentimentos
Sem a menor capacidade de empatia
Se a cama é quente
A mesa é totalmente fria
Porque os zumbis não enxergam humanos
E são incapazes de sonhar e amar
Só sabem ferir e matar.
15/10/2020
9 de Chesvan, 5782


Promessas Rompidas

Promessas Rompidas

Sinto ciúmes de tuas ausências
Elas são misteriosas
Cheias de silêncios
Pré-determinados em acordos em comum
Mas ainda sinto as dores
Aceitar não garante isenção de sentimentos
Calar faz parte do contrato
Mas gritar esse amor
Pode ser o meu maior ato
Sem importar-me em ser patética
Afinal, como já dizia o poeta
‘‘Todas as cartas de amor são ridículas’’
Ridículas são todas as expressões de sentimentos
Expõem toda a frágil e piegas forma humana
Nos reduz ao que somos
Meros mortais
Seres sentimentais
Quem dera fossemos apenas animais
Vivendo cada cópula pelos simples instintos
Apenas sobrevivendo, e pouco sentindo
Mas tudo isso são apenas divagações
Pensamentos soltos
Ideias fragmentadas
E dentro de mim
Todas as juras quebradas
Jurei não sentir, e sinto…
Prometi não amar, e apenas amo!
20 De Tishirei, 5782

Atemporal

O que dizer desse amor tão persistente?

Que se esconde numa amizade

Mas que sempre reaparece e me faz contente

O que posso esperar desse sentimento que não respeita o tempo?

Que se encontra em tantas vidas

E sabe renascer como a fênix

Um amor que não carece de elos

Sem promessas ou certezas

Apenas persiste

Refloresce a cada estação

Ainda que não seja primavera

Sabe amadurecer com a elegância de um porto

Mas também traz a embriaguez de um Absinto

Como posso ser sóbria, com toda essa febre que sinto?