Desaguar

Desaguar

É preciso desaguar amarguras num lago de belas canções

E das agruras fazer doces composições

E da solidão fazer o flerte

Em pingos de emoções

No anoitecer mirar o cintilar da paisagem

Contar casos, bobagens…

Desaguar.

 

O Lupanar da Solidão

O Lupanar da Solidão

Neste lupanar

O som de um espasmo no ar

É rua 18

Casa 1938

A porta aberta

Sugere mistério

A rua deserta

É um eterno sacrilégio

Não tem vida,

Não tem dramaticidade

nem dor

é um lupanar

sem amor

que a solidão

esta a gozar

gozar com despudor