27/07/2021

A Voz da Esquerda Judaica

Mauro Nadvorny & Amigos

Procuram-se, urgentemente…

3 min read

photo by Pietro N-Dellova (biblioteca)

Procuram-se Estudantes (urgentemente) que não sintam excitação e irresistível atração (mórbida) por resumos, sinopses, colagem, celulares, esquematizados e, desnudos de inteligência, babem em festas alienadas sem fim!

Estudantes militantes, urgente, procuram-se! Que consigam ao mesmo tempo devorar livros e fazer amor, beijar de língua falando de política e amor com prazeres multifacetados, com a liberdade de quem conhece História, Direito, Filosofia, Antropologia, Sociologia, Economia, Literatura e Geografia!

Estudantes de quaisquer áreas que sintam, ao menos, vergonha, por não conhecerem História, Direito, Filosofia, Antropologia, Sociologia, Economia, Literatura, Geografia e Direitos Fundamentais!

Procuram-se Estudantes que não sejam “fakes”!

Procuram-se Advogados para o Brasil (de hoje) que não olhem para quem deles precisar como se os mesmos fossem “frango assado” (tipo papa-léguas e coyote);

Procuram-se Advogados que, inicialmente, conheçam – e bem – o Sistema Jurídico, inclusive nas entrelinhas, mas que tenham deixado páginas e páginas de Direito, História, Filosofia, Antropologia, Sociologia, Economia, Literatura, Geografia e Direitos Fundamentais, reviradas, riscadas, anotadas, marcadas – e que jamais tenham lido quaisquer resumos, resumões, esquematizados ou sinopses!

Procuram-se Advogados que saibam falar e escrever, e que nunca tenham plagiado alguém, nem usado o nome de alguém. Advogados que saibam, não apenas teoricamente, mas, na prática, a diferença entre “Leis” e “Direito”, entre seres humanos e clientes, entre desespero e necessidade, entre injustiça e tempo, entre vida e morte!

Procuram-se Advogados que não sejam “fakes”!

Procuram-se Juízes que saibam tudo o que estes Advogados souberem e que nunca, nunca mesmo, tenham medo do CNJ e, menos ainda, do Comando do Exército! Juízes que saibam a diferença entre “amanhã” e “hoje”, e que nunca, nunca mesmo, permitam aos cartorários redigirem suas sentenças! Juízes que não sejam “fakes”.

Procuram-se Juízes que não sejam “fakes”, desesperadamente!

Procuram-se Promotores, Procuradores e Delegados de Polícia que saibam tudo o que estes Advogados souberem, e que saibam, ainda, tudo o que estes Juízes pensarem, além de terem a exata noção entre o “público” e o “privado”!

Procuram-se Promotores, Procuradores e Delegados de Polícia que não frequentem tanto lojas de ternos, mas entrem, insistentemente, nas favelas, ocupações, prisões, cadeias e setores de licitações, não para matar, mas para saber em que medida o Estado Democrático sofre de alguma omissão!

Promotores, Procuradores e Delegados de Polícia que não sejam “fakes”.

A diferença entre os Estudantes, Advogados, Juízes, Promotores, Procuradores e Delegados de Polícia que se procuram, urgentemente, e pessoas “fakes”, que existem aos montões, é que aqueles conhecem profundamente Direito, História, Filosofia, Antropologia, Sociologia, Economia, Literatura, Geografia e Direitos Fundamentais, e amam, com certeza, Mário Quintana – e conhecem a dor do mundo – enquanto estes, conhecem bem – e “invejavelmente”, resumos, sinopses, colagens, esquematizados, celulares e outras tecnologias, e amam, lógico, aplicativos, mas desconhecem a dor do mundo!

© Pietro Nardella-Dell’ova (2012)

 

Deixe uma resposta